sábado , 19 agosto 2017
Capa / Artigo / O mexeriqueiro, a espada e a flecha
O mexeriqueiro, a espada e a flecha

O mexeriqueiro, a espada e a flecha

O Salmo de número 64 deve ser lido à luz de Provérbios 24.17, que diz que, “quando cair o teu inimigo, não te alegres, nem se regozije o teu coração quando ele tropeçar”.

Logo de início, Davi pede a Deus por um momento de sua atenção. É como solicitar uma audiência com o Rei. Ele resume sua solicitação ainda no primeiro versículo quando diz “guarda a minha vida do temor do inimigo”. Davi sabia que o temor paralisa o potencial. Em alguns casos, o temor atinge níveis altíssimos a ponto de desencadear um turbilhão de fobias e, por vezes, perda da capacidade de confiar em Deus. Isso obriga o portador desse mal a sempre viver em alerta, com um sentimento de preocupação infundado de que sempre há alguém o perseguindo.

Do versículo 2 ao 6, Davi deixa claro que sua dor tem origem na palavra do mexeriqueiro. Em Mateus 12:36 Jesus ensina que “toda palavra ociosa que o homem disser haverá de dar conta no dia do juízo”; Em Provérbios 24:8 diz que “àquele que cuida em fazer o mal, chamá-lo-ão de pessoa danosa”. Em sua oração, Davi descreve detalhadamente as atitudes dos que falam mal dele e como tem sofrido com isso. Precisamos ter uma clara visão da realidade para conseguir descrever com a mesma riqueza de detalhes que Davi descreveu.

Nos versículos 2, 3 e 4, Davi pede para Deus escondê-lo dos mexericos dos maus e da confusão que os homens de coração inflamados pela mentira causam ao justo. Davi compara a dor de uma palavra que amaldiçoa com a mesma dor que uma pessoa sente ao ser atravessada por uma espada ou por uma flecha. Nessa visão, Davi sente-se abatido pela língua que maldiz da mesma forma que as armas de guerra abatem seu oponente em um campo de batalha. Davi prova a Deus que seus inimigos agem covardemente, porque num campo de batalha, o combate é frontal, enquanto que, os que usam a língua para maldizer, o fazem no secreto. Essa situação coloca Davi em situação de fragilidade, porque sente-se impossibilitado de se defender legitimamente.

No versículo 6, Davi descobre que seus inimigos estão investigando a fundo sua vida. Sua dor se agrava porque essa pesquisa está enlameada de malícia. Saliento aqui que malícia é, em simples tradução, uma inclinação para fazer o mal. É uma habilidade para enganar sob uma máscara de fazer o bem. Em 2 Timóteo 3:13, Paulo afirma que “os homens maus e enganadores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados” e, em Romanos 2:9a-10a, ele sente-se livre para impetrar “tribulação e angústia sobre toda a alma do homem que faz o mal; […] glória, porém, e honra e paz a qualquer que pratica o bem;”

Entretanto, nos versículos 7 a 10 Davi muda o tempo verbal da sua oração. O versículo 1 fala do presente, do 2 ao 6 do passado, em como seus inimigos agiram contra ele e do 7 ao 10 ele passa para o futuro. Entendo aqui que Davi já sentiu o consolo de Deus; sua alma agora está alegre e confiante, porque sabe que Deus já ouviu sua petição. Davi entendeu que a mesma arma que usaram para destruí-lo é a mesma que os destruirá; no versículo 8 afirma que “assim eles farão com que suas línguas tropecem contra si mesmos;” Não devemos ler essa mensagem e crer piamente que somos vítimas de mexeriqueiros. Precisamos de discernimento espiritual para saber se estão nos criticando devido à malícia dos maus (assim descrito nesse Salmo em questão) ou porque, de alguma forma, há um motivo para que falem de você. Nesse último caso, a carta de Paulo a Tito (2:6-7) te exorta a ser exemplo nas boas obras, incorrupto na doutrina, sincero, com “linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós”.

Conclusão

Considere Provérbios 24.17 para que, “quando cair o teu inimigo, não te alegres, nem se regozije o teu coração quando ele tropeçar” e Mateus 5:44, em que Jesus te ordena amar os teus inimigos, bendizer os que te maldizem, fazer bem aos que te odeiam e orar pelos que te maltratam e te perseguem. A repreensão de Deus sobre o mexeriqueiro deve ser tratada com compaixão e não com uma satisfação pessoal de justiça feita. À luz desses dois versículos, faça como Davi: adore a Deus, exponha sua aflição e o grau da sua dor e sinta a alegria do livramento que o Senhor providenciará a você, caso você seja filho legítimo de Deus. Quanto aos desviados e todos aqueles que ainda não aceitaram Jesus como Senhor e Salvador, só lhes resta a dor da morte eterna. A menos que decidam mudar de vida.

BIGTheme.net • Free Website Templates - Downlaod Full Themes